10 de nov de 2010

Os Quadrinhos: Nossa Maior Arma

No Brasil, o sistema de ensino, no geral está furado. E a culpa não é apenas dos políticos, do crime, do sistema ou seja lá de quem for. A culpa da fraqueza intelectual de nossa nação está na incapacidade dos responsáveis pelo ensino (em todas as esferas) em bolar estratégias para alcançar um nível de inteligência e sair do comodismo que impede de lutar contra um sistema furado que impede o país de avançar.

Nosso povo infelizmente, é "pobre e burro", e não falo isso com tom de superioridade, mas de tristeza e revolta. Manter o povo na ignorância é lucro ara alguns. Alguém se beneficia da não-intelectualidade das pessoas, e isso há muito tempo. Então, se o povo "pobre e burro", a grande massa impensante, está manipulada, como fazer nosso país mudar? A resposta é simples: tornando o burro em inteligente, o analfabeto funcional em um ser pensante e atuante. Não a geração dominante atual, mnas próximas gerações. Aquelas que estão vivendo o período escolar neste momento. E a maneira é muito mais simples do que aparenta.
Minha sugestão é aquela que é apontada já há algum tempo por alguns: a leitura. Mas daqui eu vou além: os quadrinhos. Os quadrinhos podem mudar o nosso país. Primeiramente, entramos no fator leitura. Ler é um experiência individual e única que te faz pensar "involuntáriamente", diferente da TV, onde muitas vezes você so precisar parar e rir, se tornando um zumbi. Você precisa racionalizar quando lê, seu cérebro precisa trabalhar e isso te torna mais inteligente. Apenas uma pequena lista de benefícios da leitura:

•  Aquisição de conhecimento : com a leitura, ampliamos nosso conhecimento sobre assuntos específicos e gerais.

•  Estímulo à brincadeira : a leitura ajuda-nos a relaxar, levando-nos ao mundo do faz-de-conta, onde podemos projetar nossas emoções sem nenhum risco.

•  Estímulo à criatividade: a leitura mexe com a nossa imaginação, estimulando-nos a desenvolver prazerosamente nosso potencial criativo.

•  Desenvolvimento da capacidade de argumentar : a leitura estimula-nos a desenvolver argumentos consistentes e bem fundamentados.

•  Ampliação do vocabulário : com a leitura, conhecemos novas palavras e aprendemos a usá-las em seus diferentes e ricos sentidos.

•  Incentivo à reflexão e à formação de opinião : a leitura nos incentiva a pensar, a refletir, a formar uma opinião, a pôr em xeque nossas convicções e a chegar a uma conclusão.

•  Ampliação do campo de visão : a leitura nos permite "ver" um assunto sob outras perspectivas, o que estimula nossa capacidade de aceitar o novo e o diferente.

•  Confrontação de pontos de vista : a leitura nos leva a uma conversa com o autor, o que nos permite reforçar, esclarecer ou mudar nossos pontos de vista.

•  Utilização dos recursos da linguagem : a leitura nos permite aprender, com os bons autores, a utilizar, inventivamente, os recursos oferecidos pela linguagem.

•  Correção gramatical : com a leitura, aprendemos a escrever bem, de forma correta, pela observação, ou seja, naturalmente, sem esforço.

•  Estímulo ao pensamento abstrato : a leitura nos permite perceber a realidade pelo ângulo da fantasia, o que amplia nossa capacidade de pensar sobre o abstrato.

•  Estímulo à imaginação : quando lemos, vemos apenas palavras, mas logo formamos cenas na nossa tela mental, o que é muito estimulante para a imaginação.

(espelhomagico.net)

Como a escola entra nessa conversa? É lá que, entre muitas aspas, aprendemos a ler e saímos formados, protos para a vida no mundo (seja lá o que for que esta imbecilidade signifique). Costumo dizer que a escola é inutil. Ela serve simplesmente para, após vários anos, recompensar um bando de idiotas com um papel (vugo diploma) que diz que você esteve naquele local por vários anos. A escola não cumpre o seu papel de verdade e sua única função da escola em nosso país é adicionar pessoas à massa manipulável. Ela não cria seres pensantes e é, hoje, uma das maiores instituiçõoes furadas do nosso país.A intensão é até boa, mas vacila no final.  Entremos então no estímulo a leitura que ela nos dá, a grande e gloriosa literatura brasileira. Uma literatura chata e ultrapassada que é incapaz de conquistar qualquer pessoa que esteja apenas em busca de um pouco de entretenimento (então vem o Domingão do Faustão e o fisga).

Quando eu era criança e queria diversão, não pensava em ir atrás de Machado de Assis, pensava ir atrás de Batman, da Turma da Mônica (esta, na minha opinião, deveria ser leitura obrigatória em qualquer instituição de ensino básico), do Homem-Aranha, Dragon Ball e centenas de outros personagens. Eles estavam ao alcance da minha mão e me fizeram viajar dentro da minha cabeça. Então, os professores se reúnem para decidir qual livro vai ser leitura obrigatória naquele semestre, isso quando a escola tem projetos desse tipo. Escolhem livros chatos, escritos em épocas chatas e por pessoas chatas.



Os quadrinhos quebram essa barreira. São divertidos e unem arte e literatura. São capazes de, imperceptivelmente, estimular o pensamento e multiplicar os pontos de vista ao mesmo tempo em que estão simplesmente divertindo (isso, obviamente, se tratando de obras divertidas). Ainda há um outro lado. Se você fala, é porque um dia, quando bebê, ouviu. Então, se você lê, provavelmente sentirá o desejo de criar suas próprias obras. Imagine a quantidade absurda de boas obras surgiriam, nosso áis é repleto de artistas geniais em todos s sentidos que só precisam de oportunidade e estímulo e, o mais importante, alguns são tão geniais que são capazes de criar suas oportunidades, mas estão presos a seus universos medíocres porque não tem a menor noção de que há muitos meios de se conseguir algo. A leitura é capaz de mostrar esses caminhos e os quadrinhos são capazes de fazer a nação amar a leitura. Os quadrinhos podem ser a maior arma revolucionária da história deste país. Se as crianças de agora forem apresentadas as HQs, a próxima geração de professores será dotada de mais possibilidades (e se ainda acha que isso não te afeta, são eles que vão ensinar a seus filhos e netos). Assim a nação se fortalece, primeiro intelectualmente para depois financeiramente.
E notem que pra isso é necessario um investimento mínimo. Quanto custa um gibi? Quantos custam alguns gibis, presenteados às crianças e jovens? Com certeza não mais que algumas centenas de prédios que são construídos e abandonados e outras centenas de sandices que vemos em nosso país. Os quadrinhos podem ser nossa maior arma.

Esta é apenas uma construção de idéias. Aos poucos será aperfeiçoada, mudada, talvez, mas ela não pode ficar estática. Colabore nos comentários com sua opinião e, principalmente, ponha isso em tudo que foi dito em prática.

comments powered by Disqus

Copyright @ 2013 HQFan Beta.

Distributed By Blogger Themes | Designed by Templateism | MyBloggerLab